Noticias

Festas Solares


FESTAS SOLARES
Trancoso | Feital | Vila Franca das Naves | Fundão
2 a 24 de Setembro 2017

As Festas Solares evocam as celebrações da antiguidade. Solstícios e equinócios assinalaram as mudanças das estações dos povos antigos de cultura agrícola e pastoril. Sujeitos aos ciclos da natureza, centraram a sua atenção na apreensão e registo da passagem do tempo. Neste equinócio de Setembro inauguramos um novo ciclo – CAMPUS JARDIM DAS PEDRAS – que celebramos com um extenso programa de actividades.

Programa Geral (clicar para ver)

 

SIMPÓSIOS DE ARTE JARDIM DAS PEDRAS
Campus Jardim das Pedras | Feital
2 a 17 de Setembro 2017
Vera Mantero coordena a edição deste ano do Simpósio de Arte Jardim das Pedras, que se divide em duas partes: para a primeira semana, a coreógrafa convidou os criadores e intérpretes Ana Rita Teodoro, Carlos Oliveira, Daniel Pizamiglio, Inês Cartaxo, João dos Santos Martins e Tiago Barbosa para ao longo de uma semana reflectirem sobre teorias e práticas da dança contemporânea, com lugar a uma apresentação informal à comunidade local no final; na segunda semana, dirige uma oficina para 10 participantes seleccionados previamente, que se constitui também como a 1ª fase de audição com vista a escolha de intérpretes para a sua nova criação a estrear no próximo ano no Festival Alkantara. No seu conjunto, este Simpósio, que reúne 2 grupos diferentes de profissionais, pretende promover a reflexão colectiva sobre processos da dança contemporânea.

RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS JARDIM DAS PEDRAS
Campus Jardim das Pedras | Feital
18 a 24 de Setembro 2017
Um dos principais propósitos do nosso projecto é a promoção de actividades direcionadas para a emergência artística. Neste sentido, decidimos convidar quatro artistas emergentes – Paula Sánchez, Raquel Diaz, Brigite Oleiro e Nuno Oliveira – relacionados com entidades congéneres com quem colaboramos e pretendemos ampliar a colaboração para uma curta residência artística para desenvolvimento de um projecto artístico a ser concretizado ao longo do próximo ano no Campus Jardim das Pedras e uma exposição no Espaços Pontes no Fundão, com curadoria de Pedro Januário e Flávio Delgado.

SEMINÁRIOS JARDIM DAS PEDRAS
Campus Jardim das Pedras | Feital
20 a 23 de Setembro 2017
Com o objectivo de promover uma grande reflexão à volta da nossa própria proposta cultural, no momento em que apresentamos um novo projecto para o concelho, propomos um conjunto de seminários dedicados às POLÍTICAS CULTURAIS, PRÁTICAS ARTÍSTICAS e PROJECTOS CULTURAIS E PARCERIAS, com a participação de universidades e instituições de todo o país e Salamanca.

 

POLÍTICAS CULTURAIS
20 de Setembro 2017
Direitos e deveres culturais / Fruição e criação cultural na Constituição da República Portuguesa.
Convidámos os investigadores José Carlos Pereira (Universidade de Lisboa) e Pedro Salvado (Universidade de Salamanca) que nos vão falar respectivamente dos temas: Uma cultura política da arte / enquadramento das políticas públicas da arte e da cultura e Culturas Regionais / Culturas Peninsulares.
Para uma segunda parte, porque nos encontramos em pleno debate autárquico que antecede as eleições de 1 de Outubro, convidámos todos os candidatos à autarquia de Trancoso a apresentar neste seminário as suas próprias propostas de política cultural para o concelho e freguesias, num primeiro momento com comunicações livres e num segundo momento em diálogos moderados pelos convidados da primeira parte.

PRÁTICA ARTÍSTICA
21 a 22 de Setembro 2017
Este ano convidamos os envolvidos a reflectir sobre A Prática Artística. Sobre o fazer e o saber fazer, enquanto relação intrínseca entre pensamento e realização ou, de que forma pensar é fazer e fazer um modo de pensar. Propomo-nos promover a discussão crítica e construtiva sobre esta temática e, desta forma, sensibilizar e potenciar a capacitação de todos os envolvidos.
Ao longo de dois dias assistiremos a comunicações de Manuela Penafria (UBI), Francisco Paiva (UBI), Paulo Fidalgo (UTAD), Rogério Peixinho (CMC), Odete Palaré (FBAUL), João Paulo Queiroz (FBAUL), Célia Bragança (ESAD), Graciela Machado (FBAUP), José Luís Oliveira (AEF), Ana Paula Camilo (AET), Elsa Gonçalves (EAAA), Mário Rainha (CC), Isabel Baraona (ESAD), Marta Traquino (UL), José Simão (IPCB) e Cristóvão Pereira (FBAUL).

PROJECTOS CULTURAIS E PARCERIAS
23 de Setembro 2017
Iniciamos este seminário com um balanço de um projecto que afinal nos deu a possibilidade de desenvolver os novos projectos que agora apresentamos.
– Três anos do Projecto Pontes por Carlos Fernandes
– Novos projectos:
Campus Jardim das Pedras por João Castro Silva
Cinema Juventude por Manuel Mozos
Gerações por Pedro Januário
Projecto Creatour | Turismo Cultural por Ana Rodrigues

O segundo momento será totalmente dedicado as parcerias, onde contamos ter connosco os novos parceiros que queiram integrar os projectos que propomos implementar. Por fim os convidados especiais Manuel Ambrósio Sánchez Sánchez e Domingo Sánchez Blanco que nos vêm falar dos seus projectos culturais – Festival Pan e Cementerio de arte de Morille.

EXPOSIÇÕES | PERFORMANCES | CINEMA
São vinte as actividades, deste extenso programa que se inicia no dia 7 com a instalação ILHA DOS AMORES de Nuno Manuel Pereira no Museu Arqueologia do Fundão.
Destacamos o tributo à escultora Maria Lino, fundadora da Luzlinar, com uma primeira exposição – M. LUZ LINO | BOLSA DA CIDADE DE HAMBURGO | CENAS DA ALDEIA – no âmbito do projecto de estudo e catalogação da sua obra que iniciámos este ano. E também a exposição que celebra os 20 ANOS DO SIMPÓSIO INTERNACIONAL DO FEITAL organizada por Pedro Januário e Flávio Delgado. Depois, os novos espaços do Campus serão sucessivamente inaugurados com performances de Vera Mantero, Rogério Peixinho, Llama Virgem, Mariana Fernandes, Nuno Manuel Pereira o escritor Manuel da Silva Ramos, entre outros.

Agenda

AGENDA | AGOSTO 2017

EXPOSIÇÕES

Inclassificáveis
até 31 de Agosto 2017 | Espaço Pontes | Fundão
Inclassificáveis é um conceito que tem como base um trabalho criativo que estará situado no limiar do “trabalho do artista” e ao mesmo tempo do “trabalho do artesão”. Com trabalhos de António Fontinhas, João Clemente, Mário Salvado e Roberta Azevedo Gomes.

A Obra da Escultora M. Luz Lino
1 a 6 de Agosto 2017 | Feital
Residência para preparação de projecto de candidatura para produção de filme sobre a obra da escultora M. Luz Lino com Luís Alves de Matos e Carlos Fernandes.

SETEMBRO

Festas Solares
Setembro 2017
Trancoso | Feital | Vila Franca das Naves | Fundão
Simpósios | Seminários | Residências |Exposições | Performances | Cinema
As Festas Solares pretendem evocar as celebrações da antiguidade. Solstícios e equinócios assinalaram as mudanças das estações dos povos antigos de cultura agrícola e pastoril. Sujeitos aos ciclos da natureza, centraram a sua atenção na apreensão e registro da passagem do tempo. No nosso caso o ano começa com equinócio de Setembro. Iniciamos estas Festas com Simpósios (Artes Performativas); Seminários (Politica Cultural, Prática Artística e Projectos e Parcerias); Residências com Artistas Emergentes; Sete exposições; Performances de Dança, Artes Visuais, Música, Artes Plásticas, Literatura e Poesia; Cinco Sessões de Cinema. Apresentamos e inauguramos o novo projecto – CAMPUS JARDIM DAS PEDRAS
Programa completo em breve…

Agenda

AGENDA | JULHO 2017

Festival PAN | Participação da Luzlinar | Projecto Pontes
XV Encuentro transfronterizo de Poesía, Patrimonio y Arte de Vanguardia en el Medio Rural
14 a 16 de Julho 2017 | Morille | Salamanca

A FORMA II | Desenho e Pintura
de Flávio Delgado
O olhar para o objecto o qual não quero dar o nome é por vezes o momento mais difícil para o observador entender o trabalho que está a ser desenvolvido. A Forma é o mais importante, é tratada num todo na impossibilidade de encontrar duas iguais.

A ILHA DOS AMORES | Escultura de Luz
de Nuno Manuel Pereira
Tenho interesse na imagem material e no seu poder em criar as narrativas não lineares, provocando a imaginação do espectador de uma maneira mais orgânica e plástica. O poder do falso como um método de reorganizar a realidade assim como as ideias que se encontram atrás do conceito artístico transforma-se na fonte preliminar da produção. Cada detalhe é pensado, mas também dar espaço ao inesperado como algo que pode se transformar parte do trabalho final. É um trajeto com as suas ilusões, mas como uma experiência extraordinária que se transforme numa consciência da materialização da luz – não somente enquanto o conhecimento artístico e técnico mas também como uma aprendizagem interna e emocional.

A MINHA LÁPIDE | CEMENTERIO DE ARTE DE MORILLE | MUSEO – MAUSOLEO
de Maria Lino
El propósito básico del Cementerio de Arte de Morille es el soterramiento de piezas de reconocido valor artístico y/o vinculadas directamente al ámbito del arte de vanguardia, entendiendo que no es menos importante el proceso que lleva al soterramiento que el soterramiento mismo.
Cada enterramiento (cada proceso) es catalogado y documentado en sus líneas básicas, con vistas a la futura creación de un Centro Documental que permita un acceso completo y riguroso a las distintas obras.
Estamos ante una propuesta ambigua, compleja y plural: para unos se trata de un “depósito permanente de arte”; para otros de un “museo-mausoleo”, de un “centro de arte subterráneo” y también de un “museo cóncavo”; si bien la denominación de “cementerio de arte” se ha impuesto sobre las otras, quizá por la contundencia de los términos.
La pluralidad de enfoques sitúa el Cementerio de Arte de Morille precisamente en la encrucijada que discute la esencia misma de la creación artística (su naturaleza y función social, entre otras consideraciones), no exenta de una evidente dimensión crítica respecto a los fundamentos de la museística actual.
La gran repercusión del proyecto es uno de los indicios del interés que ha despertado tanto entre el público en general como especializado.

Maria

Campus JARDIM DAS PEDRAS
Apresentação do Projecto por Carlos Fernandes, Coordenador de Projectos da Luzlinar
16 de Julho 2017 | 13h00
O Campus Jardim das Pedras inaugura um laboratório multidisciplinar de reflexão teórico-prática que integra, transversalmente, experiências e conhecimentos em diversas áreas do saber. Dentro dos mais diversos modelos de encontro acolhe gente, massa crítica, interessada em pensar e em fazer. Incuba e provoca a relação entre os meios académicos, as populações e o mercado de trabalho através do desenvolvimento prático de ideias e projectos de investigação que se propõem reciprocamente.

jardim

APRESENTAÇÕES

Inclassificáveis
Apresentação Pública do Projecto
6 de Julho 2017 | Espaço Pontes | Fundão

Inclassificáveis é um conceito que tem como base um trabalho criativo que estará situado no limiar do “trabalho do artista” e ao mesmo tempo do “trabalho do artesão”.
Para iniciar este novo projecto selecionamos um grupo heterogéneo de pessoas com diferentes idades, trabalhos bastante destintos e provenientes de diversas zonas do país.
Para esta apresentação contamos com a presença dos quatro inclassificáveis – António Fontinhas, João Clemente, Mário Salvado e Roberta Azevedo Gomes – a quem será proposta uma conversa aberta com todos os presentes.

 

EXPOSIÇÕES

Abrigo – Habitar o Espaço Mínimo
Apresentação Pública do Projecto e Exposição
28 de Julho 2017 | Hotel Turismo de Trancoso | Trancoso
Exposição e apresentação dos trabalhos a concurso dos alunos de Design de Equipamento da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, desenvolvidos ao longo do primeiro semestre do ano lectivo 2016/2017.
“Abrigo-Habitar o Espaço Mínimo” pretende o desenvolvimento de um Abrigo, de pequenas dimensões, móvel e auto-suficiente para uma posterior aplicação na Serra do Feital.