1. INVESTIGAÇÃO E CRIAÇÃO ARTÍSTICA
LABORATÓRIO |  CAMPUS
JARDIM DAS PEDRAS

GERAÇÕES

MOVIMENTO DAS PEDRAS
Círculos; Tectos Da Montanha; Observatórios

BOSQUES
“Serra Em Cadernos”; “Quercus/Pinus”; “Habitar O Espaço Mínimo”; “Plataforma Para A Utopia”

1.2 JARDIM DAS PEDRAS
1.2.1  Gerações

Descrição:
Projecto de Investigação e Criação Artística a ser desenvolvido na Aldeia Artística do Feital no âmbito do laboratório do Campus ao longo dos quatro anos.

Gerações é um projecto de carácter experimental que inaugura um conjunto de práticas culturais transgeracionais no sentido de reclamar os lugares rurais ancestrais como “Lugares de Todos”. Pretende-se a criação de um espaço capaz de juntar em simultâneo grupos de seniores com grupos de crianças para a sua aproximação à Arte.

Para tal definem-se duas vertentes de acção no tempo para este lugar, em estreita ligação com a comunidade da Aldeia Artística do Feital e restantes povoações envolventes: a auto-construção de um objecto arquitectónico e a projecção de dinâmicas de utilização para a criação artística.

Diferentes gerações, diferentes saberes estimulam relações inter-pessoais entre a população envelhecida e a população activa implicando-as em torno de um projecto artístico comum.

A constituição desta premissa funciona como motivo para o reactivar de uma eira pública abandonada, restituindo-lhe o papel enquanto palco cultural da troca espontânea de experiências, saberes e vivências.

Pretende-se a criação de uma estrutura geodésica que albergue populações das seis freguesias (Uniões de freguesias de Vilares e Carnicães, Póvoa do Concelho, Trancoso e Souto Maior, Freches e Torres, Moimentinha, Tamanhos) que delimitam as fronteiras territoriais da Aldeia Artística do Feital, para actividades transgeracionais na área das Artes Visuais, inspiradas no trabalho em que a Luzlinar tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos anos.

Sublinhamos a importância do envolvimento da comunidade em todo o processo desta acção artística.

Planeamento:
As actividades do projecto “Gerações” consistem em residências e apresentações para a mobilização da população através das Artes Plásticas e da Arquitectura distribuídas pelas seguintes fases: Investigação / Criação, Apresentação Pública e Formação.

2018/2019

1 – Residência | Investigação e Criação na área da Arquitectura para o Estudo do Espaço-Tempo da sua mutabilidade e permanências no contexto da apropriação de espaços públicos rurais.
2- Apresentação pública para a mobilização, desenvolvimento e preparação das residências seguintes.
3- Residência | Formação e oficinas para a construção e implantação do pavilhão como palco cultural.

2020/2021

4- Residência | Investigação na área das Artes Plásticas que consiste em sessões regulares desenho a partir do local da Eira, abertas aos habitantes locais, para restabelecer um hábito perdido de usufruto do local como “lugar de todos”.
5- Residência | Formação aberta à comunidade para a gestão, programação autónomas do espaço GERAÇÕES.
6- Apresentação pública dos resultados do projecto.

Objectivos Específicos:
– Criar espaços destinados para a troca de saberes e experiências para usufruto directo e em simultâneo das crianças, jovens e seniores.
– Fomentar práticas artísticas que permitam a reflexão conjunta entre o Artista/Investigador e a comunidade local.
– Promover a participação activa e a qualificação da comunidade nos domínios da criação e investigação artística.
– Capacitar os agentes locais para a autonomia nos processos de desenvolvimento, promoção e gestão cultural transgeracional.

 

1.2 JARDIM DAS PEDRAS
1.2.2 Movimento das Pedras

Descrição:
Projecto de Investigação e Criação Artística que intervém no laboratório do Campus, Aldeia Artística do Feital, desenvolvido nos últimos três anos no âmbito do projecto Pontes e a que se pretende dar continuidade para os próximos quatro anos.

MOVIMENTO DAS PEDRAS convoca as áreas artísticas das Artes Plásticas, Desenho, Escultura, Arquitectura juntamente com as seguintes áreas científicas: Arqueologia, Antropologia, Geografia, Geologia, Astronomia.

Os territórios das Serras do Feital, Vilares e Broca albergam uma presença vasta e múltipla da expressão da construção em técnica da pedra seca que pretendemos integrar nos processos de investigação e criação artística relativos ao desenho, à escultura, à produção de espaço e à paisagem.

A técnica da pedra seca é um modo de edificação que consiste exclusivamente no manuseamento de pedras sem recurso a qualquer outro processo construtivo, representando uma cultura secular que se encontra intrinsecamente ligada à experiência do território e da vivência da população.

As acções artísticas compreendem a selecção, recolha, manuseamento e assentamento das pedras na técnica de pedra seca e suas múltiplas variantes, sobre a atenção da forma e do desenho latentes. A actividade é desenvolvida em conjunto com a população local, que ainda detém o conhecimento desta técnica, fomentando a preservação activa do património material e imaterial existente.

O projecto estrutura-se em três residências artísticas convocando diferentes áreas científicas, com a duração de duas semanas cada, oferecendo diferentes aproximações a vínculos poéticos com o lugar: Círculos; Tectos da Montanha; Observatórios.

1-CÍRCULOS tem como matéria de investigação artística e científica (Arqueologia e Geografia) a presença extensiva de maroiços (construção piramidal ou cónica), muros e outras manifestações de ordenamento elementar e informal do espaço das actividades rurais ou outras.

2-TECTOS DA MONTANHA tem como matéria de investigação artística e científica (Antropologia) de um conjunto de cerca de duzentos abrigos em granito de diferentes dimensões e tipologias, destinados a diversas funções ligadas às actividades e ao habitar da serra.

3-OBSERVATÓRIOS é um convite à investigação artística e científica (Geologia e Astronomia) dos planos terrestre e celeste em simultâneo para o estudo/especulação da importância das pedras e dos astros enquanto elementos dinâmicos ou geradores da transformação da paisagem.

Planeamento:
1 – Residência Círculos | Investigação e criação artística através dum reconhecimento de caminhos pedestres, povoações e suas comunidades, actividades rurais, e construção experimental de objectos pétreos para o pensamento da sua preponderância na paisagem.
2 – Residência Tectos da Montanha | Investigação e criação artística que integra a análise dos abrigos existentes, na sua relação com a paisagem e a geografia do local, e a construção experimental de abrigos para o pensamento dos seus processos de edificação e a sua finalidade, envolvendo a participação de artistas e investigadores das áreas das Artes Plásticas, em particular dos participantes dos Projectos Teórico-Práticos em Tutoria.
3 – Residência Observatórios | Investigação e criação artística a partir de observações astronómicas e geológicas para a construção experimental na técnica de pedra seca de micro-estruturas que permitem múltiplas leituras da sobreposição dos planos terrestre e celeste.
4 – Apresentações públicas anuais de cada uma das actividades.

Objectivos Específicos:
– Estimular através de práticas artísticas, o conhecimento, divulgação e preservação da heterogeneidade das manifestações ancestrais e do Património Material e Imaterial.
– Potenciar e enquadrar acções de conservação e preservação dos abrigos desenvolvidas por agentes locais a outras escalas territoriais e áreas de conhecimento.
– Proporcionar aos estudos artísticos e científicos práticas ambivalentes e integradoras de pensamento e acção por intermédio de uma aprendizagem contínua com o património e território que se habita.
– Resgatar memórias e saberes em desaparecimento acelerado através da aproximação da comunidade local, estimulando a partilha de conhecimentos e vivências relacionados com a vida da Serra.

 

1.2 JARDIM DAS PEDRAS
1.2.3  Bosques

Descrição:
Projecto de Investigação e Criação Artística e Científica, a ser desenvolvido na Aldeia Artística do Feital no âmbito do laboratório do Campus, ao longo dos quatro anos, emparceria com a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

“Bosques” é uma actividade agregadora de sub-actividades projectuais e experimentais na sua relação com um espaço natural, na observação e compreensão da sua fauna eflora, dos seus ciclos e transformações. Promove-se a cumplicidade entre a actividade sensorial, despertada pelos ecossistemas e pelo lugar, e os contributos científicos dados pelas áreas da biologia, agronomia, ecologia.

Procura-se estimular projectos artísticos que reflictam os limites da acção humana.

As actividades distribuem-se por quatro residências, com a duração de duas semanas cada, que oferecem diferentes aproximações ao espaço natural: “SERRA EM CADERNOS”; “QUERCUS/PINUS”; “HABITAR O ESPAÇO MÍNIMO”; “PLATAFORMA PARA A UTOPIA”.

Cada uma das residências prevê uma apresentação pública anual.

O projecto é complementado com a realização de um seminário anual, para o debate artístico e científico com a participação da comunidade, definindo-se como tema do primeiro ano “os limites da acção humana”.

Planeamento:
1- Residência | Investigação e criação | “Serra em Cadernos” é uma actividade de Desenho que inicia uma recolha de representações de elementos vegetais e animais, criando e alimentando imaginários sobre as manifestações da natureza observada.
2- Residência | Investigação e criação | “Quercus/Pinus” é uma residência que desenvolve os territórios da arte e da ciência em simultâneo através do estudo das duas famílias de espécies arbóreas em causa. Pretende-se uma aproximação ampla ao conhecimento biológico, ecológico, social, produtivo, simbólico questionando as metodologias e práticas do artista e do investigador.
3- Residência | Investigação e criação |”Habitar o Espaço Mínimo” é uma residência artística que, no cruzamento das Artes Plásticas com o Design, propõe a prototipagem e a construção de um abrigo sustentável, através de práticas de construção inspiradas pelo compromisso com a paisagem em redor. Esta residência define como tópicos de investigação: a Flexibilidade, a Sustentabilidade, a Forma e a Mobilidade. Pretende-se a partir desta investigação fomentar a necessidade de apoios privados para a concretização destes abrigos.
4- Residência | Investigação e criação | “Plataforma para a Utopia” desenvolve um projecto multi-disciplinar sobre as necessidades e dificuldades intrínsecas no cruzamento do trabalho artístico e científico na natureza, com intuito de informar um debate sobre a pretensão ecológica vigente das sociedades globais contemporâneas.
5 -Apresentação Pública do resultado das residências no espaço do Campus.
6 – Realização de um seminário anual para a discussão do trabalho e reflexão.

Objectivos Específicos:
– Promover a multiplicidade das relações entre as práticas artísticas e os espaços naturais onde intervêm, através da sua observação e compreensão.
– Estimular pela acção artística a descoberta de novas linhas de investigação científica.
– Despertar a aprendizagem/conhecimento do Património Natural para a sua fruição e investigação.
– Convocar o debate sobre a defesa do património natural face à pretensão ecológica vigente das sociedades contemporâneas, através da comunidade que habita o território para a reflexão sobre as práticas de projecto artístico.